Com o tradicional ‘Sobe e Desce’, o ecbahia.com analisa quais pessoas, (jogadores, comissão técnica, dirigentes), situações, resultados e ações foram destaque na semana anterior, seja de maneira positiva ou negativa.

Sobe: Nino Paraíba tem a cara do Bahia

Nino Paraíba está fora da partida de volta da final da Copa do Nordeste e fará uma enorme falta. Titular absoluto da lateral-direita tricolor, o jogador vive a sua melhor fase com a camisa tricolor em sua quarta temporada no clube.

Jogador do Bahia desde 2018, Nino completou 35 anos em janeiro e não dá nenhum sinal de queda em seu desempenho. Pelo contrário, ele foi o melhor jogador na triste partida do Bahia contra o Ceará.

Nino tem a cara do Esquadrão de Aço. Além de nordestino, é um atleta que não desiste de nenhum lance, demonstra vigor, raça e disposição dentro das quatro linhas. Doa-se ao máximo em prol da camisa que veste.

O nível de desempenho que o lateral tem demonstrado faz com que o clube não possua nem sequer um substituto a sua altura.

João Pedro? Renan Guedes? Um dos dois substituirá Nino na final, mas é fato que o nível cairá drasticamente.

Desce: Irresponsabilidade de Luiz Otávio

Indiscutivelmente, a derrota para o Ceará foi o pior momento da semana do Bahia para qualquer torcedor tricolor. Mas, citaremos o pior jogador do Esquadrão na partida: Luiz Otávio.

Luiz Otávio teve um início de trajetória com a camisa tricolor considerado como promissor, ajudando a manter o time invicto desde que entrou no time, com contribuições importantes para o setor defensivo tricolor.

Na última semana, no entanto, o zagueiro teve atuações que comprometeram. O pior momento, sem dúvidas, foi a expulsão cometida de forma ignorante. Com apenas 19 minutos, acertou uma entrada desnecessária e violenta. O vermelho foi merecido, bem como as críticas.

O lance foi irresponsável e dificultou a situação do Bahia dentro de campo. Afinal, jogar com um a menos em uma final é extremamente difícil. Mesmo com o cartão vermelho recebido pelo time cearense antes do intervalo.

Contra o Guabirá, Luiz Otávio foi o autor de um pênalti que poderia ter mudado todo o roteiro da partida. No momento em que cometeu a penalidade, o Bahia estava ganhando de 1 a 0. Ou seja, o jogo poderia ter voltado ao empate e o time boliviano ganharia motivação.

Falhas como essas não podem ser repetidas ou comprometerão ainda mais o time.



www.ecbahia.com

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.