Depois de Felipe Melo publicar uma carta ao torcedor do Palmeiras, desta vez foi a vez do atacante Rony compartilhar momentos de sua vida com a torcida do Alviverde na véspera da final da Libertadores.

Em carta publicada no jornal O Globo, o avante do time paulista relatou detalhes de sua vida antes de se tornar jogador de futebol. E as dificuldades que enfrentava.

“Nós éramos de uma família muito pobre do interior. Não tínhamos muitos recursos e nos virávamos da maneira que era possível. Não tinha colchão? Vamos nos virar com o papelão, tinha também os livros da escola. Colocávamos uma coberta por cima de tudo e dormíamos. Era eu e às vezes minhas duas irmãs na cama de papelão. Às vezes só tínhamos porta na casa. A janela era um pano pendurado. Não tenho vergonha de falar. Dormiu no papelão? Dormi mesmo. Muitas vezes não tinha o que comer, mas eu me virava. Como é que faz no interior? Eu comia passarinho. Eu matava o passarinho e comia. Até minha esposa brinca, você comeria passarinho hoje em dia? Eu respondo para ela, aqui na cidade não tenho coragem de matar um passarinho, mas no interior eu tenho”, contou.

Na véspera da final da Libertadores, Felipe Melo divulga carta ao torcedor palmeirense.

Agora, no Palmeiras, Rony vive a ansiedade por mais uma final de Libertadores. Foi dele o passe para o gol de Breno Lopes no título sobre o Santos, na decisão de 2020.

Palmeiras e Flamengo se enfrentam neste sábado (27/11), às 17h, no estádio Centenário em Montevidéu, no Uruguai.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *