Clique aqui e se inscreva no Canal ecbahiapontocom no Youtube!
-->


Fonte: Rafael Machaddo / EC Bahia

A realidade mudou completamente de 2021 para 2022. O que antes era comum, já passa a ser visto como luxo internamente. É o caso do time de transição, que não terá as várias contratações anuais e será unificado ao time principal como parte da montagem do elenco da temporada.

Em uma longa entrevista coletiva concedida nesta quarta-feira (05), o presidente Guilherme Bellintani respondeu a inúmeras questões acerca do planejamento de 2022, sobretudo falando sobre o ponto de vista do elenco dos objetivos da temporada.

Afirmando que a temporada será marcada pelo objetivo principal de conquistar o acesso já no primeiro ano de Série B, o mandatário do Esquadrão ressalta também a necessidade de realizar adequações no grupo como um todo.

O ponto inicial do planejamento traçado para o elenco tricolor está no tamanho do elenco. Segundo Bellintani, a ideia é de ter até 32 jogadores no grupo, sendo que desses no mínimo seis devem sair do elenco de transição. Essa é uma readequação técnica e financeira.

A gente vai trabalhar entre 30 e 32 atletas do elenco principal e uma parte desses jogadores, sendo seis ou oito originários do que seria o time de transição. Portanto, a gente tira um proveito muito grande. Os primeiros dois jogos do Baiano serão treinados por Bruno e em sua maioria o time vai ser montado por jogadores ainda do time de transição. Por que vamos começar com grande parte do elenco do transição? Por um motivo específico: eles estão treinando desde o começo de dezembro. Não posso colocar um jogador que está indo para campo hoje pela primeira vez e colocar para jogar no dia 15 de janeiro. Não é compatível a nível físico e nem a nível de planejamento”.

A readequação do elenco passará pelo período de unificação neste mês de janeiro, sob o comando de Bruno Lopes e com o olhar do técnico Guto Ferreira para absorver atletas para o elenco principal, que no caso passa a ser o único, desfazendo completamente o chamado grupo de transição.

“Esse time vai ser unificado durante o mês de janeiro, com Bruno treinando os dois primeiros jogos do Baiano. A partir do primeiro jogo do Nordeste, Guto já assume, e já vai ser uma equipe mais próxima do nosso time titular. E a partir daí vamos ter Guto comandando as duas competições. E Guto passa a ser um auxiliar definitivo do clube”.

Reforços? Saídas? Bellintani fala em readequações

Questionado sobre o tema reforços, Bellintani disse que a ideia principal, neste momento, é de buscar definições sobre quais jogadores ficarão no clube, mesmo aqueles que possuem vínculo para 2022.

Isso porque, o presidente afirma que o elenco já é grande o bastante. Ou mais, é maior do que o planejamento.

“Não vamos falar muito, nesse momento, em reforços, apesar de que há, sim, algumas conversas em avanço. Temos um elenco hoje que é maior do que o elenco que precisamos ter para o ano de 2022. Temos um elenco, que se for contabilizar todos que possuem contrato e desceram para treinar hoje, mais Luiz Otávio e Rodallega que ainda não estão aqui, junto com os que vão trazer do transição, já dá uma quantidade de jogadores maior do que o que a gente projeta para 2022”.

Com isso, em vista, readequações estão sendo feitas. Qualquer atleta pode ficar ou pode sair, a depender de como sua situação seja vista internamente.

Portanto, o presidente admite ter negociações em andamento, mas afirma que contratar não é a prioridade deste momento, e sim traçar um panorama real do elenco que a comissão técnica terá em mãos para 2022.

O primeiro movimento é de adequação ao momento atual, e vamos ter de ter muita cautela. Só podemos registrar jogadores no dia 19/01, temos uma segunda janela em abril após os Estaduais, e vamos precisar errar muito pouco, muito menos do que o que temos errado, para fazer um ano competitivo. Estamos olhando o mercado, têm conversas sobre contratações nesse momento, mas hoje o nosso objetivo principal é ajustar primeiramente o tamanho atual do elenco, com algumas saídas que estão em conversas para adequar em questões orçamentárias e também de posições do time”.

Tem posições que temos quatro ou cinco atletas disponíveis e precisamos adequar isso. A partir disso, vamos com toda a cautela e todo o cuidado para novas contratações. Mas repito que não será surpresa se daqui a alguns dias aparecer uma nova contratação para que depois eu fique como incoerente se anunciar alguém. Mas, não é esse hoje o nosso movimento central. Nosso movimento central é de adequar o nosso elenco às características e orçamentário de Série B.

Quatro reforços já anunciados

A partir dessa definição, o clube já oficializou quatro jogadores. Luiz Henrique, Djalma, Rezende e Jonathan estavam em clubes da Série B em 2021 e a diretoria entende que eles estão dentro do perfil traçado.

“Anunciamos jogadores que são conhecidos pelo público que acompanha a Série B. Eu diria que são nomes com características de Série B e próximos do perfil que estamos buscando para o elenco, que são jogadores que entendam que o Bahia é o ponto alto de suas carreiras e que queiram fazer do Bahia uma nova história ou queiram até o Bahia como passagem, mas que queiram fazer uma boa história enquanto estiverem. Lógico que isso será somado a todas as características técnicas, táticas físicas, e uma série de outras coisas que uma Série B nos impõe”, afirma Bellintani.

Comissão técnica

“Temos uma comissão técnica que é muito tarimbada e muito experimentada na Série B. Isso é muito importante para análise de perfil das contratações. É o técnico que está definindo sozinho? Não, não é. É junto com o Departamento de Análise e Desempenho do clube. E posso dizer que duas das quatro contratações que fizemos, já tentávamos fazer desde o ano passado, mesmo estando na Série A”.

Situação de Marco Antônio e Douglas

Perguntado sobre esses dois atletas, Bellintani passou longe de dar uma resposta concreta. Ele afirmou que os atletas vinculados ao clube se apresentaram para os treinamentos. Porém, sem afirmar especificamente o que será feito com o atacante e o meia.

O presidente aproveitou a pergunta para falar de maneira geral sobre os jogadores que retornaram de empréstimo, ou que já estavam no clube e possuem vínculos para 2022.

“Todos que possuem contrato, estão no clube, estão integrados e descem para treinar. Isso é uma decisão de política de formação de elenco, combinada com jurídica. No mercado, estamos conversando, logicamente porque a gente sabe que têm atletas que não atendem o perfil que a gente quer para a Série B, mesmo tendo contrato. Sobre esses atletas (sem citar nomes), estamos partindo para conversas com outros clubes, sendo procurados ou procurando clubes com os quais temos parcerias, para tentar fazer negociação, empréstimo ou rescisão. Outros atletas também estão sendo observados para compor o elenco de 2022, que são as contratações que ainda virão. Então, esse é um mecanismo absolutamente normal em um momento como esse. Estamos fazendo com toda cautela, porque se eu falar que um jogador está disponível no mercado, o valor dele imediatamente vai cair, o interesse de uma negociação melhor para o clube vai cair. Vocês nunca vão me ouvir falar que algum jogador está disponível para ser negociado. Não existe isso. Mesmo que haja, e há, de fato, por decisões técnicas, e não são os casos desses dois (Marco Antônio e Douglas), não vamos divulgar isso”.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *