Após ter seu contrato rescindido com o Minas Tênis Clube, Maurício Souza publicou um vídeo nesta quinta-feira (28/10), explicando que a culpa de sua saída do time não foi do clube.

“A culpa disso tudo foi da turma da ‘lacração’ fazendo pressão em cima dos patrocinadores, o que acarretou do patrocinador ameaçar o Minas de tirar o patrocínio, tanto do (time) masculino quanto do feminino, e isso ficou insustentável”, disse o jogador.

“O meu diretor Elói e o meu presidente Ricardinho fizeram o máximo para me segurar dentro da equipe, o máxima. Fizeram o possível e o impossível. Infelizmente o time não aguentaria perder tantos patrocínios assim e aconteceu o que aconteceu. Mas eles foram homens, são homens de verdade, que eu respeito muito e admiro. Não foi culpa deles, não.”

Lembre o caso

O Minas Tênis Clube decidiu finalizar seu vínculo com Maurício Souza depois do jogador fazer uma publicação homofóbica no Dia das Crianças, mencionando a notícia de que o Superman é bissexual.

Maurício Souza
Publicação de Maurício Souza sobre o Super-Homem se assumir bissexual

Na terça-feira (26/10), a Fiat soltou um comunicado oficial cobrando “medidas cabíveis” sobre o ocorrido. “Em relação às recentes declarações do jogador Maurício Souza, da equipe de vôlei Fiat Minas Gerdau, a Fiat declara seu repúdio a toda e qualquer expressão de cunho homofóbico, considerando inaceitáveis as manifestações movidas por preconceito, ímpeto desrespeitoso ou excludente”, destacou a empresa.

Quer ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos esportes e receber as notícias direto no seu Telegram? Entre no canal do Metrópoles.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.