guto36
Fonte: Divulgação / EC Bahia

O Bahia foi plenamente dominado na primeira etapa e foi para o intervalo perdendo por dois gols. No retorno para o segundo tempo, o Esquadrão contou com o brilho de Rodallega, em mais um golaço, mas no fim da partida levou mais um e deixou o Castelão com uma derrota por 3 a 1 para o Fortaleza.

Em entrevista após o revés sofrido na capital cearense, o técnico Guto Ferreira respondeu a perguntas feitas pela imprensa sobre como avalia o elenco tricolor neste momento da temporada.

De acordo com o técnico do Bahia, o atual elenco tricolor está sendo trabalhado para ser reforçado ao longo do ano.

“Com esse elenco, a gente vem trabalhando para conseguir armar o melhor possível e conseguir montar a base, a estrutura, com as peças que vão chegar também, e aí sim nos fortaleceremos para fazer um campeonato de Série B que possa nos conduzir de volta à Série A”, falou o treinador.

Questionado pelo ecbahia.com sobre a espera por reforços, Guto afirmou que o momento é de ter cautela na procura por reforços, para só trazer atletas que venham a agregar qualidade para o grupo.

“Acho que mais do que nunca, temos que ter paciência neste momento. O projeto não passa simplesmente por contratar e dar certo. Tem muito envolvimento financeiro para que possam chegar jogadores que vão realmente engrossar o caldo desse grupo, que é um bom grupo. Então, mais do que nunca temos que seguir acreditando e trabalhando. Acho que o resultado não diz coisas positivas que aconteceram no jogo”.

Adversário vivendo momento superior

Sobre a partida disputada na Arena Castelão, Guto fez questão de ressaltar que o Fortaleza está, sim, em um estágio acima do Bahia em termos de elenco e em padrão tático.

“Pegamos uma equipe que está se preparando para a Libertadores, que foi montada para isso, com jogadores de extrema força. Eles perderam David, que era o principal jogador de força deles, e trouxeram dois que são muito parecidos. Perderam Ederson, mas já tinha substituição dentro de casa. O nosso time, temos que ser humildes e sinceros. Nosso grupo ainda está, no momento, em um estágio abaixo do deles. É um plantel com resultado nas costas e vai jogar a Libertadores. E hoje jogaram todos os titulares, a equipe base contra a gente”.

Satisfeito com atuação do Esquadrão

Guto também demonstrou satisfação pelo desempenho de seus jogadores contra o FEC, citando números de estatísticas para afirmar ter visto uma atuação positiva de sua equipe.

“Qualquer site diz que tivemos mais posse de bola, chutamos mais a gol do que eles, 23 a 14; em escanteios, 5 a 5; em lançamentos, demos 21 e eles 18; em desarmes eles foram superiores. E um grande avanço nosso foi de 87% de passes certos, quando a média da equipe no ano passado girava em torno de 80 a 82%, em um jogo no nível em que está o Fortaleza hoje. Eu sei que dói falar do rival, mas temos que admitir que eles estão em um bom momento e têm hoje uma equipe bem estruturada”.

Treinador vê evolução no Bahia

Por fim, Guto Ferreira afirmou que, apesar da derrota sofrida, viu evolução em termos de futebol praticado pelo Bahia.

“Tivemos problemas de erros, mas tivemos muitos acertos. Mesmo com a pressão forte deles na saída de bola, não nos intimidamos, saímos jogamos, conseguimos construir início, meio e fim de jogadas, fizemos gol em jogada trabalhada. Foi uma grande jogada que terminou em um cruzamento na medida do Matheus Bahia para o Rodallega. Mais um gol do Rodallega. Teve muito avanço, muita coisa positiva em um jogo dificílimo. Não está bom para o Bahia, sabemos que o Bahia precisa evoluir muito, mas nesse processo de transição, de reestruturação, em que perdeu os principais nomes e vem reconstruindo, vai passar por esse processo. Temos que ter paciência. E o Bahia precisa seguir firme e forte para encontrar peças que vão agregar valor ao grupo, para que o grupo retorne à sua força e faça uma grande competição”.

Mudanças na equipe titular

“Repetir, infelizmente não podia repetir o time de quarta-feira por causa do risco de lesionar jogadores. Não teríamos o mesmo time já a partir da saída de Luiz Otávio. Depois, vários jogadores que estavam bastante desgastados. Raí acabou o jogo (contra o CSA) extenuado, Willian Maranhão ainda está em uma fase de crescimento. Se colocarmos os caras em todos os jogos, eles vão deixar de treinar e não vão evoluir. Não é só o jogo que condiciona. Condiciona, mas não faz evoluir no desempenho deles”.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.