Após mais de 10 anos atuando na Europa, Douglas Costa está próximo de um retorno ao futebol brasileiro. O atacante de 30 anos terá como provável destino a sua primeira casa, o Grêmio. Gaúcho de Sapucaia do Sul, região metropolitana de Porto Alegre, Douglas tem como principais características a velocidade, os dribles e os chutes de longa distância. Tais características o levaram a atuar por gigantes da Europa e pela Seleção Brasileira, mas o histórico de lesões o impediu de atingir níveis ainda melhores.

Douglas Costa iniciou sua jornada no Sapucaiense em 1999. Dois anos depois foi para o Imortal, clube que o revelaria para o mundo. A estreia como profissional ocorreu no ano de 2008. Logo na estreia, pelo campeonato Brasileiro, Douglas Costa marcou na vitória do tricolor gaúcho contra o Botafogo por 2 x 1. A estreia impactante o fez cair nas graças da torcida com apenas 18 anos.

Depois de dois anos atuando pelo Tricolor Gaúcho, veio a proposta para deixar o Brasil. Em 2010, o Shakthar Donetsk, da Ucrânia, pagou 6 milhões de euros pelo jogador e 85% dos seus direitos. Douglas se juntou a legião de brasileiros que já estavam no time ucraniano. Ele teve como companheiros atletas como Fernandinho, William, Luiz Adriano, Jadson e Alex Teixeira.

De 2010 a 2015, Douglas disputou 202 partidas pelo Shakthar. É o clube em que o atacante mais atuou em toda a sua carreira. Foram 38 gols que ajudaram a equipe na conquista de cinco títulos nacionais consecutivos. As boas atuações no time ucraniano chamaram a atenção de um gigante do continente, o Bayern de Munique.

Em julho de 2015, o brasileiro foi apresentado como novo reforço do time Bávaro. Com um começo promissor, o atacante marcou seu gol primeiro gol no clássico contra o Borussia Dortmund. Além do gol, a entrega de Douglas e sua participação ativa em jogadas ofensivas renderam elogios da imprensa alemã e de Pep Guardiola, técnico do Bayern na época.

0

Mas o treinador espanhol não demorou para anunciar a sua saída do clube, e com a chegada de Carlos Ancelotti, Douglas perdeu espaço no time principal. As lesões frequentes também dificultaram a sequência do atleta, que acabou caindo de rendimento.

Em 97 jogos pelo clube alemão, Douglas foi às redes 15 vezes e deu 30 assistências. Insatisfeito com a falta de oportunidades dadas por Ancelotti, o jogador acertou em 2017 seu empréstimo para a Juventus, da Itália. A Velha Senhora desembolsou 6 milhões de euros pelo brasileiro, com a opção de compra por 40 milhões de euros ao final do vínculo.

Em 2018 a Juve exerceu a opção e comprou Douglas Costa, em um contrato até 2022. Pelo time italiano, o atacante marcou 10 gols em 103 partidas, com 21 assistências.

Foi na Juventus também que Douglas viveu um dos momentos mais polêmicos de sua carreira. Em uma partida contra o Sassuolo, pela Série A, Douglas cuspiu no rosto de Di Francesco após uma discussão. A ação foi detectada pelo VAR, Douglas foi expulso e suspenso por três jogos. O jogador teve que vir a público pedir desculpas à torcida, mas a atitude acabou prejudicando a sua imagem. A passagem pela Velha Senhora também foi marcada pela grande quantidade de lesões.

Em 2020, para a surpresa de muitos, o Bayern voltou a procurar o jogador. Logo após vencer a Champions League, a equipe alemã contratou Douglas Costa por empréstimo. Diferentemente da primeira passagem, o atacante foi praticamente esquecido pelo treinador Hansi Flick. O brasileiro jogou apenas 20 partidas, marcando um único gol.

Seleção Brasileira

Douglas sempre conseguiu manter uma boa frequência na Seleção Brasileira. Ainda em 2009, o atacante foi campeão do Sul-Americano Sub-20. Douglas também integrou o plantel que disputou o Mundial sub-20 do mesmo ano.

A convocação para Seleção principal não demorou para acontecer. Sob o comando de Mano Menezes, Douglas Costa foi chamado pela primeira vez em 2010, mas a estreia demorou a acontecer. Somente em 2014, em um amistoso contra a Turquia, Douglas fez sua primeira partida pela seleção canarinho.

O auge da sua passagem foi em 2018, quando foi convocado por Tite para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

Lesões

A trajetória de Douglas Costa foi atrapalhada pelas várias lesões. A primeira ocorreu ainda no Grêmio, quando ficou seis jogos afastado por conta de uma fissura do ligamento intra-articular. Em todos os anos no Shakhtar, ele teve apenas uma lesão, o que explica o bom desempenho do atacante.

No entanto, suas passagens por Bayern e Juventus foram diretamente prejudicadas pelas lesões. Para se ter noção, só na Juve foram cerca de 10. Em uma delas, Douglas chegou a perder 11 jogos.

Caso seu retorno ao Grêmio se confirme, a esperança da torcida tricolor é de que isso não seja um empecilho, e que o atacante possa ajudar a equipe na disputa do Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Sul-Americana.

www.metropoles.com

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.