danilo9
Fonte: Reprodução / Facebook Watch

Danilo Fernandes foi um dos jogadores que renovaram com o Bahia após a queda para a segunda divisão. Em entrevista produzida pela assessoria do clube, o goleiro falou sobre a permanência e o que espera da temporada de 2022 no Esquadrão.

A renovação contratual do arqueiro foi uma das primeiras a acontecer mesmo com o rebaixamento para a Série B. Segundo o goleiro, não houve dificuldades em escolher continuar vestindo a camisa tricolor.

Dentre os motivos que o fizeram querer seguir no clube, estão o fato de já ter vindo para o Bahia com o objetivo de permanecer no clube e, por isso, já tinha acordo verbal com a diretoria. Além disso, ele cita a adaptação ao Esquadrão e à cidade como razões importantes.

“Antes mesmo de acertar o empréstimo no ano passado, eu já havia falado para meu empresário que não queria vir aqui para passar quatro, cinco meses. Já tínhamos um acordo verbal para permanência nesse ano e onde eu piso, eu honro, faço tudo para cumprir com o acordo que já tínhamos apalavrado”, diz o arqueiro.

Danilo também revelou que seu empresário contou sobre a procura de outros clubes.

“Meu empresário veio conversar comigo sobre outras possibilidades, mas eu já falei para ele que não sou jogador de ficar cinco meses no clube, acontecer o que aconteceu e eu sair. Vou cumprir com minha palavra, que era de permanência para esse ano. Era o que eu queria, era o que minha família queria porque já estamos muito bem ambientados aqui. Estamos apaixonados pela cidade e pelo clube. O Bahia é um gigante, campeão nacional, eu não poderia ter feito diferente. Acredito que foi a melhor coisa que eu poderia ter feito para dar a volta por cima e encerrar o ano de maneira honrosa e dar alegrias ao torcedor”.

Experiência na Série B com Guto no Internacional

“É um campeonato muito forte, cada vez mais difícil. Tem clubes que todos os anos brigam pelo acesso e não conseguem. Sabemos o quanto será um ano difícil. Tive uma experiência jogando a Série B com o Guto, pelo Internacional (em 2017). É um cara que conhece muito a competição. Também aprendi bastante coisa, é um campeonato muito disputado, às vezes deixa de ser um jogo bonito para ser competitivo onde um 1×0 é goleada. Jogar fora de casa é complicado, dentro de casa será mais complicado ainda. Os times vão se fechar e jogar por um erro nosso, sabemos como são complicados esses jogos”.

Apoio dos torcedores

“Os jogos dentro de casa foram incríveis com o apoio deles. É uma coisa muito importante que temos que levar para esse ano também. A força do grupo, do ambiente, do staff aqui, também são fundamentais para que a gente possa ter um ano maravilhoso e conseguir nosso objetivo”.

Baiano e Nordestão

“Nosso principal objetivo é a competição que estivermos disputando. Vamos começar com Baiano e Nordeste, buscando os dois campeonatos. Somos os atuais campeões do Nordeste, somos o time a ser batido. É uma competição difícil, também valorizada, sabemos a qualidade da competição. Vamos iniciar no Campeonato Baiano, onde vamos disputar para ganhar. Toda competição vamos entrar para ganhar, a primeira será o Baiano, a segunda será o Nordeste. A princípio, vamos buscar esses títulos. A partir daí, a Copa do Brasil que vamos entrar mais adiante. Vamos ver se o sorteio também dá uma ajuda para um caminho mais fácil. Depois, a Série B, nosso principal objetivo do ano. Vamos dar o máximo em todas”.

Inspiração para a carreira

“Eu gostava muito do Dida. É um cara que eu pude acompanhar treinos, na formação no Corinthians. Via muitos jogos do Corinthians por causa do Dida. É um cara que pela simplicidade, pela tranquilidade, tudo que ele fazia parecia ser muito fácil e simples. Ele e o Marcos, que também é um cara sensacional. Mas, hoje, o primeiro é o Dida. Me influenciou bastante”.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.