A licença de uma funcionária da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) pode ser o estopim para a retirada de Rogério Caboclo da presidência da entidade. Segundo reportagem da CBF, pessoas com conhecimento da situação afirmam que ela teria provas de desvios de comportamento de Caboclo. As informações são da ESPN.

Rogério Caboclo tem sofrido duras críticas de clubes, presidentes de federações estaduais e dirigentes da própria CBF. A sua postura é descrita como “errática” e “inapropriada para o cargo”.

De acordo com relatos feitos à reportagem da ESPN, uma conduta mais grave teria provocado o pedido de afastamento da funcionária, que lidava diretamente com Caboclo na CBF. A licença teria sido pedida por motivos de saúde.

Na mesma semana, o próprio Caboclo se afastou da CBF. Oficialmente, a saída já estava programada, mas segundo fontes, o afastamento foi abrupto.

Ex-dirigentes da entidade, Ricardo Teixeira e Marco Polo Del Nero, ainda com muita influência no futebol, estariam discutindo a sucessão de Caboclo. O estatuto da CBF prevê que em caso de vacância do cargo de presidente, seu vice mais velho deve assumir e convocar uma nova eleição dentro do prazo de 30 dias. Dessa eleição só podem participar os oito vice-presidentes da organização.

www.metropoles.com

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.